Palestra no Secovi-SP analisa economia e setor imobiliário no Interior

Palestra no Secovi-SP analisa economia e setor imobiliário no Interior

Palestra no Secovi-SP analisa economia e setor imobiliário no Interior

Com o objetivo de traçar um panorama econômico e falar sobre as oportunidades do setor imobiliário no Interior e na Baixada Santista, o Secovi-SP (Sindicato da Habitação) realizou, no dia 2/4, a palestra O Mercado Imobiliário no Interior.

O presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, abriu o evento falando sobre a força dessas regiões. Ele ressaltou que o Interior representa hoje 64% do PIB do Estado e 21% do PIB nacional. Esse crescimento em ritmo acelerado impulsiona, também, a demanda habitacional. “O número de arranjos familiares está crescendo em velocidade superior ao número de habitantes. Com isso, cresce também a demanda por imóveis”, explicou.

Com a expansão, Bernardes afirmou que surge o desafio de adaptar o crescimento das cidades às necessidades do mercado e a um modelo que proporcione qualidade de vida. “O interior tem espaços e potencial para crescimento, mas é importante que ele seja planejado”. Para isso, o presidente sugeriu a implantação de um planejamento megametropolitano, que contempla o quadrilátero formado por Campinas, Sorocaba, Santos e São José dos Campos.

Esse quadrilátero, de acordo com Bernardes, abriga 60 municípios interligados por relações econômicas e sociais. Todos eles estão a 100 km da Capital e atraem pessoas que buscam locais com boa infraestrutura e mais qualidade de vida.

Entre os motivos para se investir no interior, Bernardes destacou: grande potencial de crescimento do mercado imobiliário, migração de empresas da capital para o interior, grande quantidade de jovens entrando no mercado de trabalho e a redução da taxa de juros e aumento do prazo de financiamento, que propiciam a inclusão.

Para Flavio Amary, vice-presidente do Interior, a qualidade de vida e a segurança também são fatores que têm contribuído para que cada vez mais pessoas migrem da Região Metropolitana de São Paulo para outros municípios paulistas. “Nos anos 80, um terço da população do Estado vivia na Capital. Hoje, esse número caiu para um quarto”, ressaltou.

Vale do Paraíba
Devido à importância da região, o Vale do Paraíba se tornou a mais nova Região Metropolitana do Estado, formada pela união de 39 municípios agrupados em cinco sub-regiões, sendo 23 turísticos.

De acordo com Frederico Marcondes Cesar, diretor regional do Secovi-SP, mais de 50% da atividade econômica da região é industrial, o que é estimulado pelo Parque Tecnológico e pela presença de mão de obra jovem e qualificada.

Segundo ele, São José dos Campos, maior município da região, teve um crescimento no PIB de 13,6 bilhões para 24,1 bilhões entre 2000 e 2010. A cidade é a 7ª mais populosa do Estado e 98% da população vive em área urbana, que representa somente 32% da área. “Esta diferença tende a levar a um crescimento vertical, senão as novas famílias serão obrigadas a morarem cada vez mais longe”, alertou.

Com relação ao setor imobiliário, o município tem hoje 12.227 imóveis em fase de lançamento ou em construção, com destaque para as unidades de 2 e 3 dormitórios, com 5.653 e 3.717 unidades, respectivamente.

Fonte: Código BR – Assessoria de imprensa SJC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *